A poesia caminha…

“Porque viajar é ir mirando o caminho, vivendo-o em toda a sua extensão e, se possível em toda a sua profundidade também. É entregar-se à emoção que cada pequena coisa contém ou suscita. É expor-se a todas as experiências e todos os riscos, não só de ordem física – mas, sobretudo, de ordem espiritual. Viajar é uma outra forma de meditar”…

(MEIRELES, Cecília. “Madrugada no ar”. In: Crônicas de viagem I. RJ: Nova Fronteira, 1998. p. 269).

O CD A poesia caminha… histórias de viagens por cidades e sonhos é uma parceria com Gladir Cabral, cuja produção teve início em fevereiro/2012. Uma parceria ou um presente, um enorme presente. Ou os dois.

Desde então, foram meses de discussão do conceito, de aprimoramento de ideias e de sonhos, até a viabilização do trabalho.

O resultado é um projeto dedicado a cidades do mundo. Ao todo, são 13 canções,  12 dedicadas a cidades reais e uma à cidade ideal, aqui chamada de Pasárgada. O teaser, você pode conferir aqui: http://www.youtube.com/watch?v=P1Q6EHj1zl8.

O processo criativo? Gladir e eu alternamo-nos nas autorias (Ora um fez letra e outro música, ou o contrário, ou ambos compusemos juntos, em diversas ocasiões. E sozinhos também.) e nos vocais, interpretando nossas leituras e representações de Barcelona, Luanda, Londres, Buenos Aires, Lisboa, Veneza, Bagdá, Paris, Havana, Nova York, Rio de Janeiro, Jerusalém e Pasárgada.

À criação, juntaram-se os lindíssimos arranjos de Fernando Merlino (que também cuidou de piano, teclados, sampler e violão), com uma série de referências e citações de clássicos da música internacional, entre os quais Let it be e Here comes the sun, dos Beatles, ou Tô morrendo de saudade, de Nei Lopes e Wilson Moreira.

Sob a batuta do maestro, entraram os talentos dos músicos Jamil Joanes (baixo), Erivelton Silva (bateria), Chico Chagas (acordeon), Pirulito e Marcelinho Moreira (percussão), Mauro Diniz (cavaquinho), Carlinhos Sete Cordas (violão de sete cordas), Júlio Merlino (sax e flauta), José Arimatéa (trompete e flugelhorn), Gilmar Ferreira (trombone), além do quarteto de cordas composto por Hugo Pilger (arregimentação e cello), Gabriela Queiroz (primeiro violino), Daniel Albuquerque (segundo violino) e Ivan Zandonade (viola).

Construído como um caderno de viagem musical, o CD teve produção primorosa, bem cuidada e inovadora, em todos os sentidos. O projeto gráfico e arte final são de Rick Szuecs, com fotografias suas, de Thiago Allis e de Ana Paula Spolon e aquarelas de Pri Sathler, além de trechos de obras literárias e musicais.

Ouça a canção Pasárgada (Gladir Cabral e Jorge Camargo) clicando neste link.

O CD foi gravado em agosto de 2012 no estúdio Alcateia Musical (Rio de Janeiro), com apoio de Maurício Caruso no estúdio Quarto da Bagunça (São Paulo/SP). Em abril de 2013, foi pré-selecionado para a 24a edição do Prêmio da Música Brasileira – http://www.premiodemusica.com.br/pre-selecionados-2013_.

A distribuição está sendo feita nas unidades da Livraria Cultura de todo o Brasil (e também por venda eletrônica a partir do site) e na Veroshop. A compra digital pode ser feita também pelos sites da OneRPM e na iTunes Store.

O lançamento oficial foi no dia 22 de março de 2013, na Livraria Cultura do Shopping Villa Lobos, em São Paulo (de onde seguimos para o circuito nacional de apresentações).

Pessoalmente, quando olho para tudo isso pronto, sou tomado por um sentimento de extrema beleza. Fico feliz com o casamento entre música e poesia, com o carinho e a dedicação do Fernando Merlino e com a amizade e confiança a mim entregues pelo Gladir. Sou tocado pelas pinceladas e traços do Rick e da Priscila, que encheram o caderno de cor e de vida. Sou grato a Deus por me ter permitido essa experiência.

E não me sai da cabeça a letra de Leo Masliah (Biromes y servilletas), vertida e cantada em português por Milton Nascimento – Guardanapos de papel, que diz muito de mim, nesse meu momento de vida! E diz também deste projeto, viabilizado na forma de mecenato. Mecenas existem. E a eles eu rendo minha profunda gratidão.