Sobre

Músico, professor, tradutor (juramentado, em inglês), intérprete de conferências e escritor, Jorge é mestre em Ciências da Religião pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, de São Paulo. É também sócio-proprietário da empresa Quase a Mesma Coisa, dedicada a tradução e interpretação, em diversos idiomas.

Tem mais de 30 anos de experiência musical, como compositor e intérprete. Pesquisa a presença, a influência e a importância do sagrado na música popular brasileira e as interfaces entre a arte, a cultura, a filosofia e a religião.

Suas principais produções foram:

A poesia caminha… histórias de viagens por cidades e sonhos (2012)

= com Gladir Cabral=

O CD A poesia caminha… histórias de viagens por cidades e sonhos é uma parceria de Jorge com Gladir Cabral – uma parceria à qual Jorge se declara extremamente grato. O resultado mostra que música e poesia são uma dupla contagiante, quiçá inabalável.

O projeto é dedicado a cidades do mundo – como bem dito pelo Gladir, a cidades várias, diferentes e iguais, todas “com suas belezas, desafios e contradições”.  Trata-se de uma viagens e de um apanhado de histórias. As nossas viagens e histórias sobre Barcelona, Luanda, Londres, Buenos Aires, Lisboa, Veneza, Bagdá, Paris, Havana, Nova York, Rio de Janeiro e Jerusalém, além da imaginária (e ideal) Pasárgada.

Com edição primorosa e inovadora, em todos os sentidos, o CD contou com produção musical de Fernando Merlino e a arte final (com aquarelas de Pri Sathler) ficou a cargo do Ricardo Szuecs.

Canções do Caminho (2012)

Coletânea de canções (a maioria inéditas) cujo tema principal é a graça. CD produzido para o Caminho da Graça, com produção de Fernando Merlino e projeto gráfico de Anderson Monteiro, sobre fotografias de Lisa Cláudia Monteiro.

Jorge Camargo, Definitivo (2012)

Coletânea de 30 anos de carreira, com músicas antigas e inéditas, selecionadas com ajuda do público. O CD Jorge Camargo, Definitivo foi produzido pelo Maurício Caruso (Tutti Produções) e conta com a participação de talentosos intérpretes e músicos da nova geração, como Carol Gualberto, Diego Venancio, Ju Bragança, Jader Gudin, Banda de Boca, Aline Pignaton e Tiago Vianna.

Tudo Que É Bonito de Viver (2011)

Diferente de tudo o que Jorge já fez em 30 anos de música. Desde O Chamado (2000) Jorge não fazia um CD puro e simples (Somos Um foi um CD temático, acompanhado do livro). Neste novo álbum ele faz uma viagem por sua alma, visita seus amores e medos, confronta sua procura e seus (des)encontros. Produzido por Jorge Camargo e Mauricio Caruso e com participações muito especiais, a obra é, de longe, o trabalho mais autoral que Jorge já produziu.

Somos Um (2008)

Capa - Somos Um

Somos Um é uma combinação de fragmentos biográficos, reminiscências, poesia e música, tudo ocupando um mesmo espaço e falando uma mesma língua. Jorge Camargo, após mais de duas décadas atuando como músico e compositor, assina um texto leve e envolvente, repleto de sentimento e emoção, onde revela um pouco da vida e obra de grandes personagens da filosofia, da literatura e da teologia, percorrendo uma trajetória de quase dois mil anos e estabelecendo, a partir dessas pessoas, paralelos com sua própria vida. E isso recheado com as letras de canções inéditas, inspiradas nesses personagens. Juntamente com o livro, está um CD com essas mesmas canções, compostas especialmente para o projeto. Para ler e ouvir. Refletir e crescer.

Surpreendente Graça (2002)

Coletânea de canções que incluem a palavra ‘graça’ ou descrevem o seu conceito. Produção independente, coordenada por Jorge Camargo.

20 anos de estrada (2001)

Capa - Jorge 20 Anos

Coletânea concebida e realizada em parceria com VPC, registra a participação de Jorge como intérprete nos muitos trabalhos produzidos pelo grupo.

Neste trabalho há canções de trabalhos como Missões e Adoração, Louvor, A Música de Sérgio Pimenta, Eram Doze, Grupo Semente, Vento Livre, Estações do Amor, Canções de Amor, Louvor de Raizes e Cânticos.

O Chamado (2000)

Capa - O Chamado

Arranjado por Nelson Bomilcar e Maurício Caruso, foi concebido com o propósito de contribuir para o Projeto Angola 2001.

Gravado em 2000, teve como característica a solidariedade – todos os que dele participaram doaram graciosamente seus honorários: Cláudio Rocha, David Lisboa Neto, Gilson B. Oliveira, Iraci Oliveira, Silas Oliveira, Eloir de Paula, Adriana S. Oliveira, Fábio M. Guazzi, Rogério Bocatto, Marcos Mônaco e Rubens Feliciano.

Intimidade (1999)

Capa - Intimidade

A produção é assinada por Jorge Camargo, Nelson Bomilcar e Marquito Cavalcante. É por certo o trabalho mais denso, musical e espiritualmente falando. Tem como marca sua vertente acústica.

Também participaram Mário Andreotti (Marinho), Russel May, Rogério Bocatto, David Lisboa Neto, Marcos Mônaco, Letícia Cavalcante e Dick Duncan.

Presença (1996)

Capa - Presença

Produzido por Cézar Elbert, Presença foi gravado em 1996 e representa um momento especial de trabalho, refletido no repertório e no estilo do disco.

Em comemoração aos 10 anos da carreira de Jorge Camargo, o disco foi relançado – com nova arte para a capa – em parceria com a VPC Produções.

Salmos e Feito o amanhecer (1987 e 1991)

 Salmos e Feito o Amanhecer

Este trabalho solo registra as primeiras composições do Jorge ainda na adolescência, inspiradas no livro de Salmos. Produzido em 1987 por Nelson Bomilcar e Jorge Camargo, o disco foi arranjado por Gerson Ortega e Nelson Bomilcar e também tem participações de Maurício Domene, Marcos Mônaco, Rogério Enachev e Maurício Caruso.

Mais tarde, uniu-se a Feito o amanhecer em um álbum, cuja produção (de 1991) foi coordenada por  Mauricio Domene, David Lisboa Neto e Jorge Camargo. Esta obra conjunta incorpora as parcerias de Jorge com Guilherme Kerr e algumas canções que ele havia escrito quando de sua estada em Londres.

Também participaram Sérgio Cofoni, Carlos Valença, Mário Andreotti, Mário Macedo, Marcos Mônaco, Esdras Gallo, Ester Tsunashima, Rogério Enachev, Carlos Sider e Sonia Polonca.